quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Novas experiencias - Tricot

E é isto!

Está uma porcaria esta "amostrinha", mas aos pouco hei-de chegar lá. Por enquanto estou só a treinar os pontos. Quando lhe apanhar o jeito vou experimentar fazer um cachecol que é o mais fácil. ;)



A aprender por aqui:


terça-feira, 26 de janeiro de 2016

"View From Above" da Emirates - Uma ajuda aos sonhos

A Emirates criou um site que se chama "View From Above" onde disponibilizam um mapa interativo com alguns vídeos captados por um drone que nos fazem babar e ficar a sonhar com o próximo destino.
As imagens são maravilhosas e permite-nos ter uma perspetiva sobre as cidades que nem mesmo com a nossa visita às mesmas teremos. Era criar um vídeo por país e ficava por ali umas 3 semanas a babar.




Vou ali sonhar com o Brasil, o Vietnam e Japão, ok?
No molestar por favor! ;)

quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

BD de desenho

Tanto trabalho e só rendeu um 14 que acabou por ser um 13 devido ao desconto de ter entregue atrasado.
-.-   :(



terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Ontem fui outra vez às compras à SPF...

e consegui três pechinchas.

Vestido Springfield - 9,99 €


Blusa Springfield - 9,99 €



E estive mesmo, mesmo, mesmo tentada a trazer este vestido em vez da blusa:

Vestido Springfield - 9,99 €

Aproveitei e também comprei um Kimono mais apropriado para a estação que aí vem embora seja da coleção Outono / Inverno por 7,99 €. Acho que o vou usar várias vezes no novo trabalho. Espero! :D
Estou um bocadinho em pânico em relação ao dress code da nova empresa, ou melhor, com o facto de não saber qual é o dress code.

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Das mudanças da vida...


A semana passada foi marcada por dias de reboliço.
No fim-de-semana anterior estava tudo normal, tranquila, vidinha do costume, a planear mais uma semana normal de trabalho, etc...
Segunda-feira, durante a tarde, o meu grande amigo R. (com quem eu e o Miúdo dividimos casa em Barcelona quando lá moramos) disse-me que ia casar dia 11 de Junho. Até aqui nada de especial, se eu não tivesse já um casamento a 18 de Junho e os meus cunhados não estivessem a pensar marcar o deles para dia 25 de Junho. (3 fins-de-semana seguidos, sendo que dois deles vão implicar deslocação e alojamento fora de casa...)
Depois do trabalho começou a montanha russa...
Cheguei a casa, depois do trabalho e fui direta com a Jelly para a Vet. Não fazia cocó há 4 dias e estava sempre a queixar-se da barriga (by the way, já alguma vez viram um cão a pedir festinhas na barriga porque está com cólicas? não? é das coisas mais fofas mas ao mesmo tempo mais penosas que existem).
Saio da Vet e liga-me um amigo, o B. Pensei "é para me falar do casamento do R.".
Diz-me ele: "Amanhã vais receber uma proposta para vires trabalhar para a minha empresa!..."
Chego a casa e o Miúdo diz-me: "Vou ter que ir para o México outra vez! Em principio 2 semanas mais 2 com uma de intervalo no meio que venho a Portugal, então, 3 semanas e meia seguidas...".

Foi uma semana difícil...
Desde pensar, repensar, ponderar, fazer contas, analisar prós e contras entre o novo trabalho e o atual... Tentar perceber quais os dias ao certo em que o Miúdo está fora... Tentar perceber se na mudança de trabalho ainda seria possível tirar uma semana ou uns dias de férias...

Comunicar a cada um dos sócios que tinha uma proposta de trabalho... Ouvir as suas contra-propostas... Constatar que um dos sócios me propôs sair da empresa com ele para um projeto novo... E pior de tudo, comunicar aos amigos e colegas de trabalho... Tomar decisões...

E no final de contas perceber que vou trocar de trabalho durante as 3 semanas e meia em que Miúdo vai estar no México e que não haverá espaço para uns dias de férias, quanto mais a tal semana.

Mas afinal não estou contente por ter um trabalho novo, que há tanto ansiava?
Sim, estou! Bastante mesmo! E ansiosa!
Mas ao mesmo tempo triste por deixar para "trás" algumas pessoas nesta empresa. Foram 6 anos e existem amigos. Há saudosismos... Não posso ignorar que foi nesta empresa que comecei a crescer profissionalmente e que foi enquanto que aqui trabalhava que casei, comecei a construir a minha família e que as pessoa que aqui trabalham comigo também partilharam estas fases da minha vida.

No entanto, o desafio que tenho é muito aliciante. Uma empresa nova, pessoas novas e, sobretudo, trabalhar com coisas novas. Aprender. Era precisamente por isso que estava a desesperar.

E se no meio houve momentos de indecisão, o que um dos sócios me disse (o mesmo que ficou com os olhos rasos de águas quando eu disse "recebi uma proposta de uma outra empresa e estou mesmo a pensar aceitar...") ficou-me no ouvido:

"Quando temos vontade de ganhar o mundo, não podemos esperar que o Mundo se encontre todo no mesmo lugar."

E é isso!

Jelly Pearl

quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Ainda a receber prendas de Natal :D

Tenho uma madrinha e uma amiga muito lindaaaasss. *-*


Acho que nunca referi a minha (grande) panca por chás. Gosto de quase todos, tenho mil e um sabores em casa ao mesmo tempo e bebo chá vezes sem conta. Olá Sou a Cocoon Pearl e sou viciada em chás.  :p



Ontem fui às compras...

...e este poncho / casaco já cá mora.
Tenho que começar, a pouco e pouco, a rever o meu guarda roupa para o novo trabalho.

Vai começar toda uma nova saga...
...Nova roupa para novo trabalho...


terça-feira, 12 de janeiro de 2016

This is me... Trying to be an artist!

Stop Motion para Merketing :)

video

Tive de reduzir a qualidade e tamanho do vídeo para ser possível mete-lo aqui.

segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

Percebe-se que a música representa uma boa parte de nós quando...

...ligo para o Miúdo, a caminho do trabalho:
- Sabes quem morreu?
- (Silencio). Quem?
- O David Bowie.
- Txiiiiii. Mas como é que pode ser? Morreu de quê?

1ª constatação: se o Miúdo fosse outra pessoa qualquer, depois de eu ter respondido David Bowie, a reacção que se esperaria seria: "Fogo, que susto que me pregaste! Ok, foi um cantor qualquer..."

Minutos depois toca o telefone. Era o Miúdo:
- Olha, afinal quem morreu foi o David Bowie.
- Sim, eu sei.
- É que eu tinha percebido o Dave Grohl.
- Credo! Nem pensar!

2ª Constatação: Temos que assistir a um concerto dos Foo Fighters ao vivo o mais rapidamente possível porque é uma grande falha.

Ainda assim, apesar do Pop não ser bem estilo de música que eu e o Miúdo mais apreciamos, o David Bowie tema importância necessária para que às 8H e pouco da manha eu ligue para o Miúdo para dar a noticia que ele morreu.


quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

Não são resoluções de Ano Novo... (Passagem de Ano em Vigo)

... Mas a verdade é que o ano começou bem e, sem querer, ganhei consciência de duas ou três coisas que precisava entre Natal e Reis.

Fomos a Vigo na passagem de ano (que desde já recomendo para quem quiser uma noite cheia de tudo e mais alguma coisa) e passamos bons momentos. Fomos com mais dois amigos e foi fantástico.

Para quem quiser ficar com a dica para uma próxima passagem de ano, cá vai:

Vigo vale muito a pena.
É necessário marcar um restaurante para o jantar (mas que não é difícil fazê-lo no próprio dia 31 durante a tarde enquanto se dá um passeio pela cidade).
O preço dos restaurantes viram uma pequena exorbitância nessa noite, por isso, há que procurar bem e ver o que inclui os menus ou confirmar o preço das cartas porque, para a noite de passagem de ano, todos os restaurantes modificam os preçários.
Passem a meia-noite no restaurante que escolherem porque é o que a generalidade das pessoas fazem. Nós viemos para a Puerta del Sol  antes da meia-noite com mais meia dúzia de gato-pingados portugueses e então percebemos o porquê de todos os restaurantes oferecerem menus que incluem coisas até passar a meia-noite.
Por outro lado, à meia-noite a cidade está completamente deserta, o que não deixa de ter a sua piada porque parece que estamos no cenário de um filme qualquer e que em poucos minutos vamos ser atacados por uns zombies ou umas criaturas estranhas quaisquer. Não deixa de ser uma boa experiência também.
Depois de bater a meia-noite, a cidade transforma-se quase num cenário de guerra com o fogo de artificio que todos os moradores lançam das suas próprias varandas ou terraços. Não um fogo de artificio organizado pela câmara (ou pelo menos que eu e também os senhores do nosso hotel soubessem) mas também não é preciso. Às 00:45 ainda continuavam a rebentar fogo-de-artificio em continuo. A Câmara, ou investia milhões, ou perdia a corrida para os moradores de Vigo.
Por volta da 1h da manha a cidade vira o caos. Filas de transito sem fim, as ruas cheias de gente, todos os bares abrem (mas só mesmo por volta desta hora) e depois all night long...

O mais estranho de tudo é que pela meia noite parece que há uma ordem de recolher obrigatória à população e não há ninguém na cidade. Depois é como se começasse um "Carnaval de Celebridades".

?

Sim, levem o vosso melhor "fato". É que aquilo não é pare brincadeiras. No mínimo, vestido de cocktail e saltos do mais alto que existir nas lojas de calçado. 95 % dos homens nas ruas de Vigo estavam de fato com lacinho a rigor e 98% das senhoras com os seus vestidos de festa super brilhantes e casaquinhos de pelo para fazer face ao frio que estava. (não tenho a certeza das percentagens mas eu incluía-me nos 2 % da minha estimativa eheh e o Miúdo nos respetivos 5%)
E vestem-se assim para quê? Para andar de bar em bar tal como se faz numa noite normal do Porto... Com a diferença que pareciam que iam a casamentos. Mas acreditem, se não forem todos aperaltados, vão sentir-se o outlier do Reveillon ou da Noche Vieja como lhes chamam os nuestros hermanos.

E pronto... 6H da manhã regressamos ao hotel mas pelo ambiente que iam na ruas pareciam 2H. A noite estava para durar mas nós já estávamos no estado KO. Num tibémos bida pra eles!

E pronto! Mais um ano começou e nem muita coisa mudou. Que tenha mudado o suficiente para que este seja melhor que anterior. E o anterior já foi muito bom numas coisas e muito mau noutras...
Vá, que 2016 seja no mínimo ao nível do 2015 nas coisas boas. ;)